Em 28/07/14 às 11:48am • (via/original) • (3373 notes) • (Source)


Tenho uma amiga que quando percebe que eu estou triste costuma me perguntar quem roubou a minha caixa de lápis de cor. Tem vez que nem pergunta, apenas comenta: “poxa, dessa vez levaram as cores que você mais gosta!” A tristeza afrouxa um pouco, por mais que eu esteja chateada. Primeiro, porque é muito bom a gente se sentir olhado com carinho. Depois, porque essa expressão tem uma inocência capaz de fazer gente grande tocar em coisas sérias sem ficar com medo de queimar a mão. De vez em quando, ao ouvir a pergunta, acontece de uma lágrima ou outra escapulir, afeitos que alguns sentimentos são a desaguar no rosto quando o coração fica apertado. Mas, algumas vezes, quando eu choro diante dessa indagação não é pelas cores que não encontro na caixa nem por lembrar de quem supostamente as roubou. Choro por perceber que ainda dou aos outros o poder de roubá-las. Por notar que, no fim das contas, quem rouba os meus lápis de cor preferidos sou eu.


Ana Jácomo.   (via procenio)

Um dos textos mais bonitos e bons que eu ja li na vida.

(via oposicao)

Em 28/07/14 às 11:48am • (via/original) • (5918 notes) • (Source)
Em 28/07/14 às 11:45am • (via/original) • (12500 notes) • (Source)


Benditos os que conseguem se deixar em paz. Os que não se cobram por não terem cumprido suas resoluções, que não se culpam por terem falhado, não se torturam por terem sido contraditórios, não se punem por não terem sido perfeitos. Apenas fazem o melhor que podem.


Martha Medeiros  (via meujardimdeamor)

Em 28/07/14 às 11:44am • (via/original) • (11061 notes) • (Source)


Freud estava errado. Não é do pênis que temos inveja. É do quão tranquilo e profundamente os homens conseguem dormir depois de uma briga.


Tati Bernardi.  (via t-a-q-u-i-c-a-r-d-i-a)

Em 28/07/14 às 11:43am • (via/original) • (2852 notes) • (Source)
Em 28/07/14 às 11:43am • (via/original) • (1198 notes) • (Source)
Em 26/07/14 às 1:52am • (via/original) • (2304 notes) • (Source)
Em 22/07/14 às 10:42pm • (via/original) • (518 notes) • (Source)
Em 22/07/14 às 10:40pm • (via/original) • (121 notes) • (Source)


Por favor, me ame sóbrio. Me ame de manhã, de tarde, de noite e de madrugada. Me ame com chuva, neve, sol e tempestade. Me ame nos meus dias bons e nos meus dias chatos. Me ame chata. Me ame na TPM. Me ame com sinceridade… Me ama somente quando tem problemas ou precisa de ajuda? Me ame sem problemas e, se eles surgirem, te ajudo, te empurro, te levo no colo, te empresto lenço de papel para enxugar as lágrimas e te deixo deitar na minha barriga. Te faço um cafuné. Mas me ame. De verdade. Não apenas fale, mas mostre.


Clarissa Corrêa.  (via explicativo)

Em 20/07/14 às 1:00am • (via/original) • (8620 notes) • (Source)
»